29 de setembro de 2011

Quem ainda torce pela seleção?


Em 86 eu chorei quando o Brasil foi eliminado da Copa. Então com 5 anos, não entendia quase nada do jogo, nem sabia o que era um pênalti, não sabia quem era Zico. Dizem que criança "sente". Bom, naquele dia eu senti a tristeza de um país inteiro. E aquela foi a primeira vez que chorei por causa de futebol.
Em 90, bem mais interado e fanático, eu torci, como só uma criança pode torcer e de novo chorei, como só uma criança pode chorar. As lágrimas começaram a correr assim que Claudio Caniggia driblou Claudio Taffarel e só pararam bem depois do apito final. Ver o Brasil campeão do mundo era o meu sonho, era o sonho de todos. E 4 anos é um tempo demasiado longo para esperar quando você é criança.
Mas os anos passam rápido, tendo você a idade que tiver. Logo veio outra copa e dessa vez, eu estava no limite do fanatismo, da inocência e da paixão. Acabara de ver meu time ser bicampeão mundial, mas era diferente. A Copa do Mundo era incomparável, era mística, era sagrada. Nenhuma conquista de clube poderia chegar aos pés da conquista da Copa. E sinceramente, naquela época, pelo menos para mim, não poderia mesmo.
E naquele ano novamente eu chorei, só que dessa vez, finalmente - chorei de alegria. Eu senti que um país inteiro estava feliz, todos sorriam, choravam, buzinavam, comemoravam, se abraçavam. Foi um daqueles dias indescritíveis, pelos quais se vale a pena viver, pelos quais se vale a pena esperar. E dos quais a gente lembra com saudade, com a incômoda certeza de que aquele sentimento faz parte do passado e não mais se repetirá.


Em 98 eu tinha certeza que o Brasil venceria novamente. Todos tinham. Nós éramos os melhores, sempre fomos, éramos os mais temidos, os atuais campeões. E nós tínhamos Ronaldo. Avançamos, chegamos às semifinais contra a Holanda, começamos perdendo. Jogo difícil. Bom, mas como eu disse, nós tínhamos Ronaldo. E nós empatamos. Na prorrogação com morte súbita, os 30 minutos mais tensos da minha vida. Vieram os pênaltis. E nós tínhamos Taffarel. Uma explosão de alegria, um país inteiro feliz, sai na rua gritando abraçado com meus amigos "ÉL ÉL ÉL, vai que é sua Taffarel!!!". Hoje dá até vergonha falar isso, mas esse foi outro daqueles dias indescritíveis. 


E também foi a última vez em que chorei por causa de futebol. 


Comemoramos muito, antes da hora. Na final, descobrimos que a França tinha um hino bonito, que ao ser cantado por um povo apaixonado dentro de um estádio lotado, fazia com que as pernas dos adversários tremessem. Também descobrimos que a França tinha Zidane, e que ele sabia fazer gols de cabeça. Talvez seja apenas desculpa para a derrota, mas naquele dia fiquei com a impressão de também ter descoberto que havia algo estranho nos bastidores do jogo...
Veio 2002 e nós vencemos com uma campanha perfeita. Um país inteiro estava feliz, todos sorriam, choravam, buzinavam, comemoravam, se abraçavam. Foi um dia especial, mas apenas um vago reflexo do que fora aquele dia em 94. Estaria me tornando um saudosista? Talvez.
Em 2006, perdemos de forma ridícula. Mas eu senti muito mais a derrota do meu time na final da Libertadores, assim como comemorei muito mais as épicas vitórias dele no ano anterior do que comemoraria a conquista da Copa.
Em 2010, perdemos com bravura. E acho que essa foi a última vez em que torci pela seleção brasileira.


As copas começaram a ficar igual o Natal - a cada ano parece mais artificial, a cada edição perde mais a magia, a graça.
Hoje, as vésperas de uma Copa no Brasil, que era o meu maior sonho quando criança, vejo a seleção jogar e não sinto absolutamente nada. Às vezes dá até vontade de torcer contra. E vejo que não sou o único a assumir essa postura. O que aconteceu? O que mudou? Seria o futebol fraco, os jogadores mercenários, pouco identificados com a torcida, jogadores que só são convocados por interesses de empresários? Seria a total falta de escrúpulos do presidente da CBF e toda a corrupção que envolve a FIFA e o negócio da Copa do Mundo? Como torcer por algo podre em sua essência?
No meu caso, é a soma de tudo isso, principalmente dos últimos fatores. Mas eu estaria sendo hipócrita dizendo que não torço mais pelo Brasil devido à corrupção da CBF. Tenho plena consciência que os diretores do meu clube (de todos os clubes aliás) não são santos. E se os dessa gestão também não são diabos, os das anteriores eram, ou os da próxima serão. E mesmo sabendo disso, quando o meu time entrar em campo, eu sempre vou torcer por ele do mesmo jeito.


Só me sobra fazer uma analogia entre o amor e a paixão. Eu me apaixonei pela seleção brasileira, por ela eu chorei de felicidade e de tristeza, com ela tive dias inesquecíveis e noites de partir o coração. Foi intenso, foi a melhor coisa do mundo, foi triste, foi bonito, mas acabou. As paixões sempre acabam.
Já pelo time, nutro o mesmo amor de sempre. Existem ápices de felicidade e de tristeza, brigas e reconciliações. Mas principalmente, também existe a certeza de que esse é um sentimento duradouro, que não vai mudar daqui 4 anos.


30 comentários:

  1. Excelente artigo! (vi o link no Perrone)

    ResponderExcluir
  2. Valeu João!

    (Quase) Sempre escrevo depois dos jogos do São Paulo, se possível por favor visite o meu blog novamente e se cadastre como leitor.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. João(Blog do Paulinho)29 de setembro de 2011 09:31

    Ótimo texto!

    Saudações São Paulinas.

    ResponderExcluir
  4. É, vocês bibinhas da vila sonia são uruguaias né? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Bom, pelo menos sabemos quem são nossos pais! :D

    ResponderExcluir
  6. É isso mesmo, vi o link no Perrone e resolvi ler. Parabéns !

    ResponderExcluir
  7. Lendo tudo isso cheguei a uma conclusão!! Voce era apaixonado pelo RONALDO!!!

    auhahuahu

    ResponderExcluir
  8. Obrigado pessoal! Quem puder colaborar entrando como leitor do blog eu agradeço! (É só clicar no link azul "Participar desse site" ali no canto direito... as vezes essa porcaria não aparece, não sei porquê, mas é só dar um F5 que ele volta.).

    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Anderson Rodrigues de Miranda29 de setembro de 2011 10:47

    Bom artigo; Boas épocas que não voltam mais...ou eramos ingênuos com relação a toda malacutaia que existe por trás do futebol, ou os jogadores, técnicos e dirigentes eram mais comprometidos com o esporte do que com o dinheiro. Como andam as coisas, talvez seja melhor ser ingênuo...lembrei daquele vídeo em que a criança chora falando do Felipe Melo..rs...

    ResponderExcluir
  10. Meu interesse pela Seleção Brasileira de futebol, foi de 70 á 86.De lá p cá,não dou á mínima p esta selenike.Cambada de agiotas ávidos por dinheiro,a começar pelo dom corleone teixeira .Lixo !!!!!! Parabéns pelo blog,vi a chamada no TERREIRO DO GALO . juninho

    ResponderExcluir
  11. Interessante como as pessoas que acompanham futebol tem o mesmo sentimento pela seleção atual, total desprezo. Esse sentimento começou em mim em 2006 quando aquele grupo fez todos os brasileiros de idiotas, colocaram seus interesses acima do interesse principal de ganhar a copa e perderam de maneira vergonhosa.
    Não sei o que poderá fazer esse sentimento atual passar, só sei que no momento pra mim a seleção brasileira de futebol se equivale a seleção do Uzbequistão, ou seja, ignoro completamente.

    ResponderExcluir
  12. Obrigado pelas opiniões, realmente está difícil achar alguém entusiasmado com a seleção. Os caras conseguiram matar a maior paixão de um país.

    Gostaria de ter acompanhado as copas de 70 e 82. Quando converso com pessoas que acompanharam "ao vivo", sempre dá a impressão que foram eventos realmente inesquecíveis (para o bem e para o mal).

    Abraço.

    ResponderExcluir
  13. Opa vi teu post no blog do Grêmio, na minha casa nunca tivemos o interesse por seleção até mesmo pela sacanagem que nos fizeram ao não convocar o nosso estrela negra Everaldo em 72, a mando de Godefroid Havelange genro do atual safado que comanda o futebol brasileiro Teixeira tudo.

    Olha tu me desculpa mas eu não espero que o Brasil ganhe a copa. Não gostaria que teixeira e os 500 ou 1000 novos milionários(desvio e corrupção) fossem elevados a reis.
    Esta é minha opinião e meus motivos não espero que ninguém pensem igual.

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pela crônica. Vi o link no blog do maior de minas. Mesmo vc sendo são paulino, me identifiquei muito com o que vc disse. Realmente meu amor pelo Cruzeiro é infinitamente maior que pela seleção, e falava isso com meus colegas ontem no bar assistindo ao jogo. Torci muito mais pelo Montillo que pela seleção. Na verdade, pela minha idade infelizmente não tive a oportunidade de ver uma seleção brasileira de verdade, a de hoje é absolutamente desanimadora, mesmo tendo ganhado, mesmo com alguns dribles, nada. Mesmo meu time estando na situação que se encontra hoje meu amor e deidicação por ele não tem nem comparação. Bom, sem mais delongas, sou estudante de jornalismo e pretendo seguir pelo esportivo, adoro crônicas e novamente gostei muito da sua. Saudações celestes

    ResponderExcluir
  15. A grande verdade é que precisamos de um novo heroi!O Brasil tá carente disso , alguem que nos traga mais do que esperança ... um espelho para essa geração...

    ResponderExcluir
  16. Obrigado Jessika! Por favor siga o blog como leitora e/ou no twitter. Pretendo escrever essas crônicas com certa frequência (a maioria com enfoque no São Paulo, mas enfim...).

    Essa te torcer pelo jogador é um fenômeno engraçado. Para um São Paulino, é difícil ver o Lugano em campo e não torcer por ele. Ontem, só comemorei o gol do Brasil por ter sido feito pelo Lucas.

    E pelo relato do amigo gremista, isso acontece desde sempre.

    ResponderExcluir
  17. Belo texto. Mas uma análise mais atenta pode dizer que vc cresceu e amadureceu durante os anos. O véu da inocência se desfez aos poucos. Como no seu exemplo (perfeito!) sobre o natal, que ano após ano vai ficando cada vez mais artificial, o mesmo ocorre com as ilusões da infância e juventude. O brilho daqueles anos se dissolve no tempo e ficamos mais cínicos. Mais cínicos e mais críticos.

    ResponderExcluir
  18. Parabéns amigo. Já escrevi alguma coisa sobre isso. A seleção brasileira de futebol se transformou em um bando de mercenários. Por isso parabenizei e não canso de parabenizar o Mário Fernandes. Ele teve a coragem e o caráter de decidir não defender a seleção. Confesso, amigo, que ultimamente torço contra a seleção. Torço a favor de um Brasil mais justo e solidário. Mas torço contra o mercenarismo do nosso futebol.

    ResponderExcluir
  19. Penso da mesma forma...infelizmente deixamos de torcer pela nossa seleção, por todos esse motivos citados e talvez alguns outros, mas o legal disso tudo é q o meu amor pelo meu clube q é o maior de todos, dentre os grandes é o primeiro, aumenta cada dia mais....ótima crônica!

    ResponderExcluir
  20. Obrigado pelas opiniões! Vejo que quase todos estão em sintonia com o que escrevi!

    Por favor me ajudem a divulgar o blog, fazendo o cadastro como leitores, seguindo no twitter, passando para os amigos no facebook, etc.

    Estou começando, preciso da ajuda de vocês!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  21. FSB:Belo post...me identifiquei bastante , com a ressalva que comecei esta mesma trajetória 4 anos depois..a primeira copa que lembro é a de 90.
    Sobre a seleção..o título de 2002 realmente não teve muita graça...foi legal sim...mas comemorei mais o Inter ganhar o gauchão deste ano em cima de um Grêmio de salto alto do que o Ronaldo fazer 2 no Kahn.
    Concordo quando dizes que o Brasil foi aguerrido em 2010.Cara, que pena que não deu...seria o triunfo de algo em cima da Globo, e o resgaste do amor a camisa ...não deu...e tudo descambou novamente...Um técnico que só quer agradar...jornalistas que gostam dele pois não tem atitude...jogos ridículos...jogadores que querem entreter e não ganhar..e nem isso conseguem...Corrupção tamanha que ninguém consegue mais esconder...ganhar da Argentina foi ganhar de um grande?A Argentina com aquele time?é...eu admito...não consigo mais torcer pela seleção...achei que o Damião ia conseguir reverter este quadro com sua simplicidade..mas se lesionou...
    Não sei se um dia voltarei a torcer pela seleção como dantes...não sei

    ResponderExcluir
  22. Vi seu link no urublog. Falaste muito bem, minha "trajetória" futebolística é bem parecida com a sua e tenho certeza que muitos sentem a mesma coisa em relação á seleção brasileira. Mas vimos que, mesmo essa seleção da CBF, num calendário ridículo, no meio de um campeonato que está pegando fogo, na hora do hino nacional irmão, ainda emociona, pelo menos a mim. Espero ainda estar vivo quando tiver uma próxima copa no Brasil, quando a FIFA SÓ estiver preocupada com futebol e a CBF tiver escrúpulos, do jeito que está, tudo entregue aos corruptos, o futebol só não nos deixa enojados quando , de fato, esta sendo jogado. Saudações de Manaus, onde o futebol está quase extinto e vão construir um estádio de 600 milhões.

    ResponderExcluir
  23. ai, vi teu link no blog do Inter.
    sou colorado e na minha ocasião
    torço mais pro Inter do q pra Seleção Brasileira.

    ResponderExcluir
  24. bom artigo cara , tenho 18 anos e quando o brasil foi campeão em 94 n tinha apenas 1 ano ... e quando perdeu em 98 tinha 5 anos , pow em 2002 felicidade que só e dps de 2002 nunca mais tivemos uma seleção descente com jogadores que honra a camisa , bom eu so apaixonado por futebol , e sei que em 86 aquilo era seleção assim como 2002 jogava facil e bonito mais que issu lindo !


    Aquele Abraço "

    ResponderExcluir
  25. Obrigado pelos comentários!
    Se possível por favor sigam o blog no Twitter e/ou cadastrem-se como leitores.

    Voltem sempre, temos atualizações diariamente.


    Abraço.

    ResponderExcluir
  26. Impressionante como me identifiquei com seu texto, acredito termos idades semelhantes (Tenho 32)e sofri, vibrei e chorei provavelmente nos mesmos jogos da seleção que vc.
    A copa no brasil para mim também era meu maior sonho , mas hoje penso o mesmo que vc, naõ sou são paulino, sou COXA BRANCA e prefiro muito mais ver o meu time camp~eao do que o brasil em 2014.
    Um abraço!

    Julio Cesar Soares Colatusso

    ResponderExcluir
  27. Fala Julio! Tenho 31, praticamente a mesma idade.

    Você ainda deveria entender um pouquinho melhor o que estava acontecendo na Copa de 86. Eu fui mais influenciado pelo que acontecia a minha volta... família chorando, xingando o Zico, etc... huahuauha

    ResponderExcluir