21 de setembro de 2011

Mesma caixa

Do mais notável representante da humanidade de todos os tempos, o homem mais nobre de coração e mais virtuoso, só sobraram os ossos, e eles estão sete palmos abaixo da terra. Na cova ao lado, estão os ossos do homem mais desprezível, perverso e sem escrúpulos da história. Seus nomes não são mais lembrados por ninguém, há muito tempo. No final, reis e peões voltam para a mesma caixa e, mais cedo ou mais tarde, são esquecidos da mesma forma.

13 comentários:

  1. Seu otimismo, o modo positivo pelo qual pensa a vida é comovente...
    Mas nem por isso, deixa de ser verdade.

    ResponderExcluir
  2. Hmm...Faz sentido? As consequências das atitudes de cada um foram, são e serão sentidas pelos filhos dos filhos, mesmo que ocupem seu lugar na "caixa". Se a analogia exposta é para evidenciar que, mesmo sendo péssimos, iremos para o mesmo lugar, a idéia seria frustrante para o mundo. Afinal, seus pais o teriam expulsado de casa logo cedo, pois não mais se importariam com valores. Nada que colhemos hoje haveria sido plantado na antiguidade. A idéia de ver um filho sofrendo em uma sociedade sem caráter e perversa não agrada o coração (quem é pai ou mãe, certamente entendem). Se o nosso foco é chegar na "caixa", seja lá como for, porque ainda nos preocuparíamos com integridade, respeito ou outros valores de um homem nobre e virtuoso? Pensando bem, acredito que homens notáveis são lembrados até hoje, muito mais do que desprezíveis e perversos. Se há de sermos lembrados por nossos filhos, que seja pelos nossos valores. Mais como valores são difíceis de manter no meio de um mundo corrompido, a covarde opção de viver de qualquer forma se torna mais fácil. Afinal, ser nobre de coração e virtuoso nos dias atuais não é para qualquer um. Mas qualquer um que procura se aproximar disto, certamente se alegra com a transformação que causa naqueles que amam, sejam amigos, familiares, ou até desconhecidos.

    ResponderExcluir
  3. Alguns homens despreziveis tbm são lembrados, como Hittler por exemplo :P
    De qualquer forma, acredito que vale a pena tentar ser diferente, independentemente de acabar na caixa esquecido!

    ResponderExcluir
  4. É valido para quem não deixou legado...

    ResponderExcluir
  5. Anderson, não quero dizer que o foco seja chegar na caixa. Todos querem(os) evitar isso o máximo possível. Partindo da premissa que existe uma justiça divina, realmente faria diferença a sua conduta, pois a vida não acabaria no caixão, você seria julgado depois. Porém, supondo que Deus não exista, não faz a menor diferença a conduta de cada um, mais cedo ou mais tarde todos vão morrer mesmo. Na verdade, o questionamento que o texto tenta trazer é exatamente o que você mencionou - "porque ainda nos preocuparíamos com integridade, respeito ou outros valores de um homem nobre e virtuoso?". Indo um pouco além - será que nós nos "comportaríamos" da mesma forma se houvesse certeza que Deus não existe?



    Shivan,
    Mesmo quem deixou legado, uma hora cairá no esquecimento. Daqui 1.000 anos dúvido que alguém vai se lembrar de Hitler, Dalai Lama, Obama, etc.

    ResponderExcluir
  6. Olá Fábio! Fico contente que consegui um meio de conversar..hehe..Nada melhor que questionar a própria vida, porque o mundo, e muito visível, o nosso Brasil, esta na condição que esta pelo comodismo das pessoas, que não querem ter o trabalho de pensar a respeito da nossa vida! Pessoas que engolem tudo que ouvem e veêm, sem usar a inteligência que possuem para questionar. A nossa vida muda quando resolvemos questioná-la. Afinal, para tudo e todas as coisas existe resposta.
    Tudo que o homem conseguiu criar foi realizado por pessoas que não se aquietaram com a situação atual. Pois bem, entendi o seu texto, e realmente é de se questionar. E se Deus não existisse? Ainda que isso fosse verdadeiro, acredito que trazemos valores na nossa própria natureza. Sim, seja lá como é que isso foi parar em nós, mas gosto do texto escrito para um grupo de Romanos, por um grande homem chamado Paulo, que diz: "Porque, quando os que não são Judeus (ou seja, não conheciam a Deus e suas leis), que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os.
    Isso é verdade. Pois até mesmo os homens que não receberam informações dessa natureza (Deus) em sociedades passadas, pela sua própria conduta, respeitam a integridade, e outras qualidades nobres, na sua grande maioria. A nossa própria mente nos acusa, e nosso corpo reage quando fazemos algo que não é de valor. Por exemplo, é normal quando mentimos, nossos músculos da face podem facilmente nos condenar, as mãos tremulas e o suor no rosto. Sentimos remorsso ao fazer mal a um filho, ou conjuge. Definitivamente, sentimos um bem estar quando ajudamos um amigo em apuros, e sensação terrível quando fazemos mal a alguém, mesmo que sem querer. Discutir causa uma pertubação dentro de nós. O nosso corpo reage ao bem e ao mal. E da onde veio o bem e mal?
    Também dentro do contexto, se não nos preocupassemos, mesmo que Deus não exisitisse, com estas coisas, como seria nossa relação no trabalho, em casa, ou em outro lugar qualquer? Seria um caos. Não existiria um meio de viver em sociedade. Não teríamos amigos. Não nos casariamos. Também é natural que tenhamos dentro de nós uma vontade de ser diferente. Eu, ao menos, tenho. Porém, se crer em Deus é ajudar uns aos outros nessa vida difícil que levamos, e acreditar que Ele não existe é viver sem nobreza e virtude, gerando um caos no mundo, acredito ser melhor crer em Deus. Como diria meu professor de direito, se todos cressem em Deus, apenas os 10mandamentos bastariam para o Brasil. Políticos não roubariam, não mentiriam, não dariam falso testemunho, etc...Enfim, seria literalmente um paraíso...

    ResponderExcluir
  7. Lembramos de Platao , Genghis Khan , Aristoteles , Hamurabi(1.700AC) pela lei olho por olho, dente por dente ...

    Claro que pessoas normais como nos um dia cairemos no esquecimento , mas todos tem a chance de tentar fazer algo diferente e reverter essa situacao e ser lembrado pelas geracoes seguintes...

    ResponderExcluir
  8. Shivan, você não acha que as pessoas tendem a ser esquecidas com maior facilidade nos dias atuais? Veja as "celebridades" por exemplo. Cada vez a fama dura menos. Cada vez existe mais e mais informação, acho que isso vai acabar com a nossa memória histórica.

    Anderson, talvez os homens sejam bons por natureza. Ou talvez só sejam bons porque assim melhor lhes convém (a vida em sociedade dá mais chances para que todos sobrevivam). Achei interessante o ponto que você falou sobre as reações físicas que temos quando praticamos algum tipo de "mal". Para ser um Paraíso, acredito que bastaria - "Amarás o teu próximo como a ti mesmo" (pensei que esse era um dos 10 mandamentos, mas acabei de ver que não é).

    ResponderExcluir
  9. Tu tem muita razão Fabio, é um mandamento sim.
    E tua conclusão faz todo o sentido, pois se fizessemos a cada um o que gostaria que fizessemos conosco, tudo correria bem.
    Assim mesmo foi exposto, que todos os mandamentos podem ser dispensados se existe este:


    "Aproximou-se dele um dos escribas que os tinha ouvido disputar, e sabendo que lhes tinha respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o primeiro de todos os mandamentos?
    E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.
    Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.
    E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.
    E o escriba lhe disse: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que há um só Deus, e que não há outro além dele;
    E que amá-lo de todo o coração, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios.
    E Jesus, vendo que havia respondido sabiamente, disse-lhe: Não estás longe do reino de Deus. E já ninguém ousava perguntar-lhe mais nada."
    Marcos 12:28-34

    ResponderExcluir
  10. Ah, entendi. Jesus meio que "substituiu" os 10 mandamentos anteriores (do antigo testamento) com esses 2 que de certa forma englobam todos os outros.

    ResponderExcluir
  11. Anderson Rodrigues de Miranda26 de setembro de 2011 10:22

    Sim, de certa forma. Jesus disse que não veio para abrogar a lei, mas para cumpri-lá. A lei foi necessária naquela época. A lei antiga, que contempla os 10 mandamentos, destacam unicamente aquilo que é errado, pois não fossem as coisas erradas, não seria necessário dizer que não precisariam ser feitas. A lei veio por causa dos erros, e todos pensavam que se não errassem naquilo que a lei dizia, seriam justificados (mesmo que nos seus corações estavam mais interessados em fazer coisas piores do que aquelas). Muitos cumpriam vários pontos da lei, mas faziam outras coisas piores, justificando-se que eram cumpridores da lei. É tipo aquela coisa compensatória, hoje eu mato alguém, amanhã eu dou o dízimo e ta tudo certo...
    Já o novo testamento diz respeito a ir além da lei. Os que viviam na lei, viviam de aparência, e se justificavam por cumprir uma série de ordenanças. Não é isso que precisamos. Precisamos fazer as coisas porque desejamos honestamente que sejam feitas. Ou seja, não somente o fazer, mas o ser. Devemos ter em nosso coração boas intenções expontaneamente.
    E isso só é possível nascendo de novo, ou seja, apagando o passado e iniciando uma nova vida. É isso que o novo testamento afirma.
    Por isso estes dois mandamentos (que já contemplavam os antigos) são os maiores. Através deles, como você mesmo disse, podemos dispensar todos os outros. O que Deus espera de nós é que sejamos como Ele, para sermos chamados de filho. E o tempo é hoje, conforme o texto que escreveu (poema). Não é na ilusão de uma amanhã. Sim, o amanhã chegará, mas os valores que devem ser priorizados são para agora. Como diz no filme do Gladiador, os nossos atos do presente são como um espelho que refletem na eternidade...
    Invelizmente, com tantas igrejas fazendo milhões de reais com a fé do povo, e outras abusando de inúmeras outras maneiras das pessoas, e centenas de religiões e misticismos fica difícil perceber essa mudança na vida de alguém. Mas ainda vemos o reflexo destes novos ensinamentos em muitos, que dedicam sua vida (no seu cotidiano mesmo) em priorizar valores e princípios, acima de qualquer coisa. Visto que não somente por obras somos justificados, mas pela fé, em que estes mandamentos prioritários somente serão possíveis destacar através da nossa vida através daquele mesmo que nos concedeu essa oportunidade de sermos melhores. Os resultados são sempre positivos.

    ResponderExcluir
  12. Olá, 'conheci' você no ateus.net,por conta de alguns debates nos quais você fez contribuições (inclusive num tópicoque levantei, 'o que é defesa da vida?'. Dei uma olhada em alguns posts do seu blog, gostei, e dou um alô.

    Thiago Bastos

    ResponderExcluir
  13. É uma perspectiva muito simplista.... mas nem por isso errada.

    ResponderExcluir