23 de janeiro de 2012

Novos Velhos Amigos

Ir ao Morumbi assistir o primeiro jogo da temporada é como voltar para casa e rever velhos amigos.

Novos velhos amigos. Algumas caras novas, outras já conhecidas, mas a camisa é a mesma e isso é tudo o que importa, é tudo o que fica. O uniforme branco, com as duas faixas, uma vermelha outra preta, e o escudo. O escudo mais vencedor do Brasil na camisa que impõe respeito onde quer que seja vista. No Morumbi não é só respeito, no Morumbi ela coloca medo, terror. A camisa que me encantou desde a primeira vez que vi o esquadrão tricolor entrar em campo quando era pequeno, há sei lá quantos anos. Não importa, só o que importa é a camisa branca, a grama verde, a garoa cinza que cai no Morumbi e todas as lembranças e sonhos que isso traz à memória.

E ontem era Domingo e eu fui lá no Morumbi, ver o primeiro jogo da temporada. A primeira impressão foi boa, muito boa. Mas no futebol, a impressão que fica não é a primeira e sim a última. Uma excelente campanha pode ser completamente esquecida e destruída por um jogo ruim, por um gol inesperado, por uma bola que não entra. Um time pode ser o melhor do mundo em uma semana e pipoqueiro na outra, ou passar de "time sem vergonha" a "pintou o campeão" em um único jogo. O futebol é assim, injusto e belo como a vida.

Mas agora ainda estou com a primeira impressão, porque até quarta-feira ela ainda é a última e como já disse, ela foi boa. Também, após uma temporada lastimável, onde a apatia e falta de comprometimento de muitos jogadores nos renderam vergonhosas eliminações, não teria muito como piorar. Mas o time surpreendeu, de maneira positiva. Não pela goleada, mas pela vontade demonstrada, pela postura. Se em lembranças recentes nossos jogadores fugiam das divididas e andavam em campo perdendo um jogo decisivo, agora vimos um time que dá carrinho aos 45 do segundo tempo com 4 x 0 a favor. Vimos um time que continua indo pra cima e se impondo, com 1 x 0, 2 x 0, 3 x 0, 4 x 0. Vimos jogadores focados, disputando cada bola, cada dividida. Vimos um time tentando jogar com a bola no chão, controlando o jogo, como um time grande deve fazer. Como o São Paulo deve fazer. Sempre. Vimos um Lucas infernal, um Luís Fabiano com fome de gol, um Cortês com técnica e vontade, um Wellington guerreiro, um Rodolpho sério e comprometido. Vimos um TIME. Parece o básico, parece ridículo dizer isso, mas fazia tempo que eu não via o São Paulo jogar como um time. Era só chutão, jogadas individuais, cabeças baixas.

Continuaremos com o mesmo empenho? Foi só fogo de palha? Como o time vai se comportar na adversidade - terá forças para reverter o placar? Como serão os clássicos - vamos atropelar ou pipocar?

O espírito mudou, isso foi bem nítido. Mas é cedo para se dizer qualquer coisa, é cedo para avaliar. O futebol não é uma ciência exata e se fosse não teria a mesma graça. E também não gosto muito de me deixar levar pelo sentimento gerado por uma partida isolada, afinal - "quanto menos afirmações um homem fizer, menos tolo ele vai parecer depois". Mas como também não gosto de ficar em cima do muro, vou dar a minha opinião/palpite, com muita cautela é claro - "PINTOU O CAMPEÃO PORRA!!!!".



AVANTE MEU TRICOLOR!

4 comentários:

  1. Patricia (Patthye)23 de janeiro de 2012 20:45

    Valeu o ingresso!!!
    Vamos, vamos tricolor, vamos nao para de lutar!! :D

    ResponderExcluir
  2. Muito bom ambos o post e o jogo.Parabéns

    ResponderExcluir
  3. E lá vamos nós... =D

    ResponderExcluir
  4. O tricolor foi bem mesmo. A mudança de postura parece ter chegado, enfim!

    ResponderExcluir